Orquestra Sinfônica de Rio Claro play BB#4

Date: 
06/11/2011 - 20:30
Location: 
Brazil: Rio Claro SP
Work Performed: 
Bachianas Brasileiras #4

Sinfônica de RC toca Mozart, Barber, Santoro, Villa-Lobos e Mendelssohn na noite de sábado

Mozart, Samuel Barber, Cláudio Santoro, Villa-Lobos e Mendelssohn são os compositores que terão trabalhos interpretados pela Orquestra Sinfônica de Rio Claro em apresentação que acontece no sábado (11) a partir das 20h30 na Igreja Evangélica de Confissão Luterana, com entrada franca. A regência é do maestro Sérgio Assumpção.

Sobre a programação de sábado, o regente explica que Mozart escreveu vários divertimentos, sendo que três deles são para orquestra de cordas. "Divertimento é um gênero musical que floresceu especialmente durante o século 18, sendo normalmente destinado a pequenos conjuntos, às vezes com ou para solistas", esclarece. Divertimento n° 2 em si b maior K 137, de 1772, é a obra de Mozart que será apresentada no espetáculo.

De Samuel Barber a OSRC vai interpretar o Adágio para cordas, de 1938. Samuel Osborne Barber foi um compositor americano nascido na Pensilvânia (1910) e falecido em Nova Iorque (1981), grande admirador de Bach e Brahms. "O Adágio para cordas utiliza poucos elementos, notadamente um desenho melódico a mover-se sobre longas notas e expressiva harmonia", explica Assumpção.

Cláudio Santoro terá o seu Ponteio para orquestra de cordas, de 1953, apresentado pela orquestra no evento de sábado. Nascido em Manaus, Claudio Santoro estudou piano e violino e logo se mudou para o Rio de Janeiro, onde se tornou professor. Foi adepto do dodecafonismo, ao estudar com Koellreutter a partir de 1941, e integrou o "Música Viva", ao lado de compositores como Guerra-Peixe. Professor fundador do Departamento de Música da Universidade de Brasília, foi Regente Titular da Orquestra do Teatro Nacional, hoje Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro.

Outro grande nome da música brasileira, Villa-Lobos, tem destaque na noite musical do fim de semana realizada pela OSRC, que tocará Prelúdio das Bachianas Brasileiras n° 4 (1939/1941). "Villa-Lobos escreveu entre 1930 e 1950 um conjunto de nove obras, para formações diversas, desde a grande orquestra e coro até um duo de solistas, nas quais buscou mesclar a linguagem do alemão J. S. Bach à música brasileira, especialmente a música do sertanejo", comenta Assumpção.

Sinfonia n° 2 em ré maior para orquestra de cordas, de 1821, de Felix Mendelssohn-Bartholdy, fecha a apresentação da Sinfônica de Rio Claro. Compositor, regente e pianista, Mendelssohn trouxe à tona a música de J. S. Bach, então em parte esquecida. A Mendelssohn deve-se, por exemplo, a retomada da execução da Paixão Segundo São Mateus, obra que ele "ressuscitou" em 1829.

A Igreja Evangélica de Confissão Luterana, onde acontece a apresentação da Orquestra Sinfônica de Rio Claro na noite desse sábado, fica na Avenida 14, 466, entre ruas quatro e cinco, Centro. Não há cobrança de ingresso.